FIB 24
Bahia

Parque Tecnológico Aeroespacial será implementado em Salvador, através de parceria entre o Estado, FAB e Senai Cimatec

Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (17), na sede do Senai Cimatec, secretários estaduais, da Casa Civil, Afonso Florence, e da Ci...

17/01/2024 23h02
Por: Redação
Fonte: Secom Bahia
Foto: Gabriel Pinheiro/Secti-BA
Foto: Gabriel Pinheiro/Secti-BA

Bahia dá mais um passo à frente, com instalação de Parque Tecnológico Aeroespacial que irá envolver engenharia de aeronaves, pesquisa, formação acadêmica e de mão de obra, entre outros aspectos. Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (17), na sede do Senai Cimatec, os secretários estaduais da Casa Civil, Afonso Florence, e da Ciência Tecnologia e Inovação, André Joazeiro, além do comandante da Base Aérea de Salvador, coronel-aviador Vinícius Guimarães Nogueira, e do superintendente de Novos Negócios do Cimatec, André  Oliveira, adiantaram alguns detalhes do empreendimento que será implantado em um espaço cedido pela Força Aérea Brasileira (FAB).

A parceria para a implantação do empreendimento será firmada às 10h desta quinta-feira (18), com as presenças do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, do governador Jerônimo Rodrigues e de outras autoridades. A solenidade será realizada na sede do Senai Cimatec – Av. Orlando Gomes, 1845, Piatã (Centro de Eventos), em  Salvador.

Segundo o secretário André Joazeiro, a Secti está preparando o ‘Projeto Bahia mais Inovadora’, e o segmento aeroespacial é uma dessas vertentes. “A gente amplia a nossa possibilidade de atração de investimentos de empresas. A Bahia está bem à frente de outros estados, dependendo da área que você vai trabalhar. A nossa engenharia é referência nacional e internacional, inclusive. A UFBA, por exemplo, tem um parque de engenharia de computação. São áreas específicas que a gente tem um potencial muito grande e que são necessárias para esse tipo de investimento, a base para um parque aeroespacial”.

Segundo o superintendente de Novos Negócios do Senai Cimatec, André Oliveira, com o Parque Tecnológico Aeroespacial, a Bahia entra em um mercado de US$ 800 bilhões anuais, podendo chegar a US$ 1,4 trilhão em 2032. “O Estado oferece segurança jurídica para um investimento desse porte. A cessão da área vai ser de 35 anos, prorrogável por mais 35 anos. Então, isso dá um conforto muito grande para a implementação desse tipo de estrutura. A Bahia é muito forte no setor de biocombustíveis e energias renováveis, seja solar ou eólica”, pontuou.

Oliveira ainda explicou que a inovação permitirá o desenvolvimento, por exemplo, de pesquisas de combustíveis sustentáveis de aviação. “Em associação com empresas e outras instituições de ensino e pesquisa e parcerias, podemos desenvolver pesquisas e testar esse combustível no Centro Tecnológico Aeroespacial”.

O comandante da Base Aérea de Salvador, coronel-aviador Vinícius Guimarães Nogueira, afirmou que, com uma parceria desse porte, a FAB fomenta o desenvolvimento do Estado da Bahia através do segmento aeroespacial. “O espaço físico que temos aqui é necessário, mas há outros fatores. A presença do Cimatec aqui no Estado da Bahia, com tecnologia e pessoas trabalhando em prol do desenvolvimento tecnológico e inovação, foi fundamental para o empreendimento”, explicou coronel Nogueira. Segundo ele, um conjunto de fatores fez a Bahia ser escolhida para esse empreendimento tão importante para o país.

Texto Raul Rodrigues/GOVBA

Ele1 - Criar site de notícias