Topo Geral
Discurso

Papa Francisco critica cultura do cancelamento e "desinformação ideológica infundada"

O líder católico manifestou seu apoio às campanhas nacionais de imunização e disse que os cuidados de saúde são uma obrigação moral

11/01/2022 11h49
Por: Redação
Fonte: Reuters
51

O papa Francisco criticou nesta segunda-feira (10) a "cultura do cancelamento", condenando o "pensamento unilateral" que, segundo ele, tenta negar ou reescrever a história de acordo com os padrões atuais.

Francisco fez esses comentários em um discurso a diplomatas, no qual ele condenou a "desinformação ideológica infundada" sobre as vacinas de Covid-19, manifestou seu apoio às campanhas nacionais de imunização e disse que os cuidados de saúde são uma obrigação moral.

No mês passado, o número dois do Vaticano, o secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, expressou preocupação com um rascunho do manual de comunicação da União Europeia que sugeria não usar o termo Natal.

O manual, que o Vaticano viu como uma tentativa de "cancelar" as raízes cristãs da Europa, foi posteriormente retirado para revisão.

Nesta segunda-feira, o papa alertou para "uma forma de colonização ideológica, que cerceia a liberdade de expressão e agora está assumindo a forma da 'cultura do cancelamento' invadindo muitos círculos e instituições públicas".

Ele usou a expressão em inglês –’cancel culture’– no meio do discurso em italiano, afirmando que corre-se o risco de "anular a identidade sob o pretexto de defender a diversidade" e acrescentando que uma espécie de "pensamento único" está se formando, negando a história ou obrigando a reescrevê-la nos termos da atualidade.

A controvérsia da "cultura do cancelamento" é particularmente aguda nos países de língua inglesa, como os Estados Unidos e o Reino Unido.

Nos Estados Unidos, houve conflitos sobre a remoção ou decapitação de estátuas de figuras históricas como Cristóvão Colombo ou a mudança dos nomes de instituições como escolas e hospitais que homenageiam personalidades que desempenharam um papel na destruição dos povos nativos americanos.

Embora o papa não tenha mencionado nenhum exemplo específico de cultura de cancelamento, ele disse que qualquer situação histórica deve ser interpretada no contexto de sua época, e não pelos padrões de hoje.

Francisco também falou da crise de confiança na diplomacia multilateral, que afirma ter levado a "agendas cada vez mais ditadas por uma mentalidade que rejeita os fundamentos naturais da humanidade e as raízes culturais que constituem a identidade de muitos povos".